Voz Humana » Canto » Alguns aspectos da voz cantada » Sons guturais ou peitorais

Sons guturais ou peitorais

 


A palavra francesa poitrinage é muito usada nos meios artísiticos. É, sobretudo, uma atividade supraglótica. Os artistas que usam os sons guturais conseguem vibrar, além das pregas vocais, as pregas vestibulares (cordas vocais falsas) junto com as cartilagens aritenóides, pregas ari-epiglóticas e a raiz ou base da cartilagem epiglótica.

 

Oleg Kuular:  Cantor tuva emitindo um som grave gutural; as pregas vocais vibram na frequência de 130.8 Hz - dó (2) e as falsas cordas e adjacências em 65.4 Hz - dó (1), aproximadamente.

 

Em geral, na voz falada em fonação gutural, perde-se intensidade sonora. Entretanto, no canto, principalmente as mulheres, utilizam essa técnica juntamente para aumentar a intensidade do som, como se pode constatar nesta gravação da famosa Maria Callas.

 

Maria Callas (1923-1977): Aqui ela canta o final da ária "Suicídio!" da Ópera "Gioconda" de Amilcare Ponchielli e diz: "Domando al ciel di dormir quieta dentro l'avel" (Peço ao céu de dormir quieta dentro da tumba). A técnica gutural começa na palavra dentro e atinge espantosa intensidade sobre l'avel. Gravação de 1952.

 

ZR Mídia - Sites e Sistemas Online